Um Blog de histórias, desabafos e tudo o que nos der na real gana sobre uma das muitas Vilas Formosas deste país...
Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006
Feliz 2007!!!

...é o meu voto sincero para todas os que continuam a tentar "escapar às formigas"!

 

Para quê dizer mais? É um desperdício de bytes e, neste caso, tudo o que se diga depois do "Feliz 2007", é mesmo um desperdício... 

Portanto... isso para todos.

 

Abraços,

extramodum



publicado por extramodum às 14:45
link do post | comentar | ver comentários (22) | favorito

Terça-feira, 10 de Outubro de 2006
Há novidades no "Pró-Luz"

...pois é, parece que já se começa a fazer luz sobre o assunto!

 

Vão ao http://debate-chanca.blogs.sapo.pt/  e ... debatam...

 

extramodum



publicado por extramodum às 20:39
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 3 de Outubro de 2006
O debate vai longo...

Amigos frequentadores do blog "VILA FORMOSA":

 

O debate sobre o tema de "as Formigas que escaparam à Chança", ou "A Chança que escapa às Formigas" ou "...outra treta qualquer..."  (já nem me lembro do nome...) já vai longo!!!

Mais longo que aquilo que eu ou os "blogs do Sapo" poderiam prevêr... por isso,  meus amigos, peço-vos que passem a comentar este e outros assuntos, que tenham como importantes para a nossa "Fuga ao Formigueiro", no "blog" criado para o efeito que se chama (basta clicar no nome) http://debate-chanca.blogs.sapo.pt/ ...

... posso adiantar que o nome do blog tem a ver com ... a Luz...

No entanto, e se quiserem, poderão continuar a deixar neste "blog" os vossos comentários. O novo "blog" tem , apenas e só, como objectivo facilitar o debate. Por isso, Força nas teclas...

(... porra... ) - devo confessar que gosto desta expressão: PORRA! ... é que não ofende ninguém e permite-nos "descarregar" uma série de "sapos-atravessados" ...

Vá, vamos lá a debitar "bites" de "inteligência formigueira" p'ra ver se se aproveita alguma coisa disto, ... PORRA!!!

 Um abraço,

extramodum



publicado por extramodum às 13:20
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 28 de Setembro de 2006
É da discussão que nasce a LUZ...

Pelo menos é o que eu espero: que se faça alguma luz de toda esta controvérsia...

Confesso que nunca pensei que este tema gerasse tanta e tão acesa polémica!

Volto a repetir que não é, nem nunca foi minha intenção ofender ninguém. As pessoas que são titulares de "cargos públicos" estão sempre sujeitas a críticas. Nada tenho contra a "personagem" central desta "telenovela alentejana" (como já lhe chamaram); limitei-me a, com alguma ironia, chamar a atenção para aquilo que considerei como "decisões" polémicas relativamente à gestão do Centro de Dia.

Como refiro numa das "cartas", «...essa de “emprenhar pelos ouvidos” normalmente dá mau resultado, pois quem nos “emprenha” normalmente só “passa os seus genes” e, num caso destes, talvez fosse bom um pouco de “promiscuidade”…»... quer isto dizer, para quem não percebeu, que «é bom que se escutem várias opiniões, ainda que diferentes ou completamente opostas à que possamos defender». Só assim se poderá retirar algum proveito de tudo isto.

É essa a intenção destas "cartas". Colaborem com opiniões e/ou críticas válidas!

Já o disse e repito: não é com ofensas pessoais nem pinturas murais que se resolvem os problemas, por isso peço aos participantes neste blog que ponderem antes de escrever, aqui ou em qualquer outro lado, aquilo que bem entenderem.

Tal como diz o ´subtítulo deste blog, este é um local para contar "historias , desabafos e tudo o que nos der na real gana sobre uma das muitas Vilas Formosas deste país..." ... e, acrescento, para mim a Mais Formosa de todas...

afinal, ... todos gostamos da Chança, PORRA!!!

um abraço,

extramodum


sinto-me:

publicado por extramodum às 16:24
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito

Segunda-feira, 18 de Setembro de 2006
... e no caos continuamos..

Gente que Escapou às Formigas

Capítulo Menos Dois

Ou

Fuga às Formigas – Parte 2

Capítulo II

“Longistão, Setembro de 2006.

 

Querido pai,

Desculpa só agora responder à tua carta datada do mês passado e enviada por Correio Azul, mas como sabes o “Azul” não é para todos… muito menos para as terras como a nossa, que apesar de perto, ficam cada vez mais longe…

Mas, adiante…

Dizia eu: Querido Pai, espero que esta te encontre melhor do que quando escreveste a tua carta, onde denotavas sinais evidentes do teu adiantado estado de debilidade mental!...

Passo a esclarecer, e peço-te que não me leves a mal, pois sabes que só quero o teu bem:

 

Ponto 1 – Eu NÃO sou a tua filha!: sou o teu filho! – A morada da minha irmã, ninguém a sabe, principalmente depois de teres recebido o subsídio dos borregos e a indemnização da CP e a teres repartido “irmãmente”… pela TUA FILHA!

Ponto 2 – Essa que te acompanha NÃO é a minha mãe, pois como te deverás recordar, ela faleceu há uns bons anos… e, quando me via não dizia “Oi!, tudo legal???”! , para além de não ser da minha idade…

Ponto 3 – Já te disse várias vezes que esses comprimidos azuis que teimas em tomar, NÃO são para a TENSÃO, mas para outra coisa … com a mesma entoação…

Ponto 4 – Vê se esse mal-estar do estômago de que a Dulcineide Aparecida se queixa … não será devido a … gazes…

Ponto 5 – Tu próprio sempre me disseste que “Eras ateu, graças a Deus!”, então porquê essa tua súbita e inesperada “conversão” ???

 

Meu Pai, eu sei que a nossa terra fica longe de tudo e de todos… e que, quando se quer,  podemos sempre dar a desculpa de que “É longe … e com chuva ainda pior…nestas estradas…” ou “São muitos quilómetros para fazer com este calor…” (ainda que tenhamos um carro da última geração com ABS e Ar Condicionado de origem, e GPS – opcional por mais 1000 euros)…

Sei que, quando matas um porco – que culpa terá o bicho??? – as distâncias se reduzem; sei que quando é Natal ou outro dia festivo, a meteorologia não interessa… Sei, querido Pai, que estás “à guarda” do Centro de Dia – ou Lar dos Velhos, como lhe chamas – não por opção tua mas por necessidade minha

Todas as tuas queixas, meu pai, têm, pelo menos, uma razão de ser: Interferires o menos possível com a vida daqueles a quem a deste.

 

No entanto fico preocupado quando dizes que vives no “Galapitoquistão”… mas, pai, não foste tu quem votou nele para gerir a nossa Vila Formosa? Não foste tu quem bateu palmas quando ele disse que “Ia tomar conta do Lar”? Não foram todos os que vegetam à sua volta, que permitiram a quase Galapitocracia em que vivem???

 

É que, pai, repara bem: eu vou aí muito poucas vezes; gosto de ver a minha terra bonita, com fontes iluminadas e jardins arranjados mas… És TU quem aí passa os dias e só TU poderás tomar atitudes com conhecimento de causa!!!

Sabes que essa de “emprenhar pelos ouvidos” normalmente dá mau resultado, pois quem nos “emprenha” normalmente só “passa os seus genes” e, num caso destes, talvez fosse bom um pouco de “promiscuidade”…

E não é com atitudes obscuras que se consegue algo (já lá vai o tempo – felizmente o tempo das clandestinidades e das pinturas murais já passou!!!)

Não há ninguém “intocável” – e esse Deus de que te queixas deveria saber disso, tendo em conta o seu passado…

Por isso te digo, querido pai: Estás velho, mas não estás morto! Mexe-te, como me mandaste mexer a mim quando me viste a ir abaixo! Faz ouvir a tua voz e … se precisares… LIGA À TUA FILHA! Que eu tenho mais que fazer …

 

Um beijo do

 

Teu Filho “

 



publicado por extramodum às 14:53
link do post | comentar | ver comentários (45) | favorito

Sábado, 9 de Setembro de 2006
... no princípio era o Caos...

Gente que Escapou às Formigas

- Capítulo Menos Um -

 

ou

 

Fugas às Formigas – Parte 2

 – Capítulo Primeiro –

(p.f. lêr Prólogo - mais abaixo - antes de continuar)

 

Nota prévia: a “carta” que se segue NÃO é pura ficção. Os eventos e personagens nela retratados NÃO são mera coincidência com factos ou pessoas reais e o seu autor NÃO se responsabiliza  por eventuais danos físicos ou morais infligidos ou a infligir nos intervenientes – palavra do autor - (todos) Graças à Internet

.

 

“Galapitoquistão, Centro de Dia, Agosto de 2006

 

Querida filha, espero que esta vos encontre de boa saúde que nós por cá todos…, nem bem nem mal, antes pelo contrário.

 

Filha, sei que a tua vida não te permite visitar-nos (a mim e à tua mãe) sempre que desejas mas não te preocupes que tudo corre como Deus manda.

 

Ele olha por nós todos os dias: é Ele quem faz as compras para nos dar de comer, pois foi Ele que desistiu dos anteriores fornecedores que diariamente nos punham à disposição produtos com qualidade, receando que deixássemos de lhes comprar…, foi Ele que deixou de comprar aos comerciantes da nossa terra para ir … sabe Ele onde…, foi Ele que acabou com esse desperdício e agora tudo mudou: não há desperdício; nada se perde, tudo se transforma – em lucro… (desculpa estas filosofias baratas, mas sabes que a esclerose não perdoa…).

 

 Agora, e graças a Ele, a nossa casa é limpa com produtos que nós compramos e ainda temos que ter baldes, vassouras e esfregonas para as Senhoras limparem. Pois, porque agora e por decisão Divina, elas vêm a pé e não podem carregar com as coisas pelas ruas fora às costas. Bem sei que a nossa terra é pequena, que as ruas estão todas esburacadas, que os semáforos não funcionam mas impõem respeito, tornando difícil a circulação de automóveis,  e que isto não é a Santa Casa da Misericórdia (…palavras do Senhor… Graças a … - desculpa, filha, agora é o Alzheimer a fazer das suas…), mas o desperdício que era andarem a passear nas carrinhas de porta em porta só para nos limpar as casas… nos tempos que correm e para velhos como a gente, é muito!!! E são muitos os velhos como a gente!  E isto (seja lá o que “isto” for) não dá p’ra tudo – nova “palavra do Senhor” – Graças…!!!

 

É que, filha, tenta compreender, o Senhor não pode estar em todo o sítio, ainda que queira ser omnipresente e omnipotente, tudo o que conseguiu até agora foi ser prepotente!!! (… ai, ai… desculpa, filha : é a senilidade a dar sinas de si…).

Dantes, quando o Senhor não tomava conta de nós, havia reuniões quinzenais ou, no mínimo, mensais para decidir essas “tretas”, mas agora… reuniões para quê??? Só se for para comunicar as Divinas decisões e sabes que essas NÃO SE DISCUTEM: aceitam-se…

 

Não te esqueças que Ele tem muita responsabilidade às costas: não lhe chegava ter que olhar por uma terra onde quase só já há velhos como, ainda por cima, e deitando para trás o seu merecido descanso, aceitou tomar conta do …Lar, … dos Velhos, …e do Lar dos Velhos!

 

Olha filha, não te preocupes com a gente e desculpa não escrever mais mas é que são 6 da tarde e tenho que ir jantar. A ver se como bem porque o leitinho acabou! Pois, mais um dos desígnios do Senhor: não há dinheiro, logo corta-se na comida! Sim filha, quem janta às 6 da tarde não precisa de leite com bolachas!!! Se ficar com fome é porque não comeu ao jantar como devia ser! (A tua mãe não anda bem do estômago e não costuma comer tudo. Eu ainda não lhe disse p’ra ir ao doutor porque assim sempre sobra qualquer coisita para mim durante a noite… e também , a doutora ...são mais os dias que não vem que os que vem…)

 

Mas isso são outras conversas.

 

Um beijo deste que te adora e se assina…

 

Teu Pai



publicado por extramodum às 15:43
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Sexta-feira, 8 de Setembro de 2006
Gente que Escapou às Formigas - Prólogo

GENTE QUE ESCAPOU ÀS FORMIGAS

 

– Prólogo –

 

Pois é amigos, já não blogava há muito tempo, embora sempre fosse consultando os outros blogs sobre a nossa Vila Formosa (os links estão aí ao lado …).

As razões são diversas, sendo a principal aquela que a todos aflige nos dias que correm: a “Falta de Tempo”!!!

A segunda razão é mais pessoal e de difícil solução...

 

Eu explico: Tendo-me comprometido a escrever aqui estórias sobre “A Gente que Escapou às Formigas”, o dilema que se me colocou foi: QUEM escolher para o primeiro “Capítulo” destas estórias (tá bem escrito!!! “Estórias” e não “histórias”! – é que eu ainda gosto de escrever à portuguesa, estando-me “c@g@ndº” para os acordos ortográficos.)!

 

… Pensei naqueles que recordo da minha infância, nomeadamente:

- o “Dionísio” - com os seus pregões,

- o “Justo” – sempre a pedir um cigarrinho

- o “Mestre Marçalo” – com os seus famosos “àpartes”

- o Joaquim Ranheta – com a sua carrinha Volkswagen

- o Dr. Fortes - …palavras para quê???

- a (felizmente) “eterna” e “Menina” Pimenta - … idem…

 - … e muitos, muitos outros que, sendo marcantes para mim, não eram a meu ver, os mais marcantes para este tema…

 

Lembrei-me em seguida daqueles que “deram  - ou dão - mais nas vistas” fora da nossa terra:

 - o Júlio César – actor, chancense, amante da Chança, primo da maioria dos seus habitantes (nem que seja para que se tenha alguém famoso na família – o que parece ser um Cartão de Visita nos tempos que correm…) e um dos que mais contribui para que esta terra não seja totalmente desconhecida para a maioria da gente.,

- o “Filho do Joaquim Ranheta” – que chegou a Secretário de Estado de um Governo… de que já não me lembro (mas sei que ele o foi e peço desculpa por não me recordar do seu nome).,

- o “Lebrinha” – Emérito Juiz

- … e muitos outros na linha dos anteriores…

… mas, ainda assim, não suficientemente “importantes” para serem os Protagonistas do Capitulo I…

 

Pensei ainda em outras pessoas e grupos: o antigo Regedor (antes do 25/04), o 1º Presidente da Junta Democraticamente Eleito, os Elementos do Grupo Cénico Pró-Luz, o Agrupamento Musical Século XIX, os Grupos de Teatro sem nome , o Pélé, o Zé…. tantos, tantos que … não havia meio de me decidir…

 

Mas decidi-me! E vou escrever … não o Capítulo I, não o Capitulo 0 … mas o

 

CAPÍTULO -1

 

… e  o menos 2, e o menos três e tantos quantos forem necessários para trazer a este modesto blog, não só os que escaparam às formigas como aqueles que escapando, se aliaram às mesmas, parecendo querer obrigar-nos a uma  Fuga às Formigas - Parte 2”...

Adianto que o Capítulo -1 será sobre um senhor que está a transformar a nossa Vila Formosa num autêntico Galapitoquistão!!!

 

Nota : Todos os anteriormente referidos terão o seu lugar nesta minha Vilaformosa a seu tempo e sem preocupações de ordem de capítulos ou outras tretas.

 

Até breve!



publicado por extramodum às 15:18
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Quinta-feira, 30 de Março de 2006
Histórias de "Gente que Escapou às Formigas!"

...repito:

Histórias de "Gente que Escapou às Formigas!"

...e agora explico:

1 - Este vai ser o tema de alguns dos meus próximos posts. - Convém dizer (nã vá o gajo processar-me) que este título me foi sugerido pelo meu amigo que se assina como "Cravadinho" (ainda não percebi bem porquê, mas enfim...).

2 - A razão de ser deste tema prende-se com uma confusão que ocorreu no blog de outro "pchardeco" cujos antepassados escaparam, também eles, às formigas. É que o rapaz, que se assina como Olsec, e que tem um blog que muito aprecio - cujo link podem encontrar ali ao lado (Chançablog), - teve a ousadia de falar de gente da sua (nossa)  terra que, de alguma forma, é reconhecida como "digna de referência memorial" (esta frase significa "pchardecos que toda a gente conhece", mas como temos receio da censura velada que possa ocorrer, dizemos isto...) e, continuando, o rapaz chamou-lhes "Cromos"!!! ...

O que foste tu dizer, rapaz...: chamar CROMOS a pessoas que vivem há "bué de time" na "Santa Terrinha", que já são "Cotas" ou ainda "chavalos" que talvez só desta forma o outro "people" se dê consciência da sua existência e tu chamas-lhes Cromos???? ... Tu e as tuas modernices...

3 - Por isso é que eu, aproveitando (mas não usurpando) a tua idéia, vou fazer uma colecção de "Histórias de Gente que Escapou às Formigas!".

É que (para os menos atentos) uma das histórias que se contam sobre o nascimento da Chança, tem a ver com as formigas: Reza a dita que a (então) Vila Formosa, teve que ser mudada de sítio por causa das "formigas que comiam os olhos às criancinhas!"...

Sendo nós descendentes dessa gente, somos Gente que Escapou às Formigas!, não é?

Então fica assente: a partir de (...quando puder...), vou passar a escrever e a "postar" histórias dessa gente e, talvez com este título "velhinho" e , quiçá, histórico, tenha seguimento e se continuem a manter vivas na memória de todos "aqueles que por obras valerosas se vão da lei da morte libertando" (ou não). - (Camões, canto I - Os Lusíadas)

Amigos pchardecos, este tema é nosso. Sintam-se à vontade para o utilizar nos vossos blogs. Pela minha parte comprometo-me a fazer referência aqui a tudo o que achar interessante sobre ... A Gente que Escapou às Formigas!...

(p.s. - Parabéns, ó Cravadinho, este é um Título do ..."Camano" ... olha a Censura...)



publicado por extramodum às 13:54
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Sábado, 25 de Março de 2006
Este post é só para teste...

Pois, é para testar o novo sistema de blogs da "arrã" , essa coisa verde que , em tempos já cacei (ou pesquei???) nas ribeiras e albufeiras ao redor da nossa Vila Formosa ... e depois (...crueldade...) cortava-lhes as pernas e... comia-as!

 

Sim!!! que perninhas de rã panadas ou de tomatada, meus amigos, é de comer e chorar por mais! Qualquer dia "posto" aqui as receitas.

 

Mas agora, nem se ouvem coachar, quanto mais deixarem-se caçar..: as ribeiras estão secas, as albufeiras são "propriedade privada"... as águas não são de confiança (têm uma cor esquisita e uma espécie de oleo a cobri-las).

 

O que vale é que, estando perto do mar, sempre posso ir apanhar uns mexilhões e uns percebes como os da foto (atenção: o camarão foi comprado!).

 

Já que estou a fazer um teste, façam tambem a experiência de cozinhar os percebes e os mexilhões SÓ COM A ÁGUA QUE TRAZEM os mexilhões!!!

 

É uma surpresa deliciosa: colocam-se primeiro, os mexilhões num tacho SEM NADA (nem temperos nem água) ao lume.

Após 2 ou 3 minutos, os mexilhões estão cozidos e retiram-se do tacho, colocando então os percebes na água que ficou (se necessário, acrescentar alguma água - de preferência da que serviu para cozer os camarões).

Depois, é fazer um vinagrete com pickles e coentros, compor o prato ... tirar uma fotografia.. e COMER!

 

Bom, para teste chega.

Isto deixou-me com "água na boca" e com saudades de umas perninhas de rã da Chança...



publicado por extramodum às 15:23
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 3 de Março de 2006
Novos Links sobre a Chança
Pesquisando na NET a palavra "Chança" em diversos Motores de Busca, apareceram-me 2 textos pertencentes a blogs de 2 (creio que) ilustres Chancenses.
Com a permissão de um e à revelia do outro, decidi colocá-los neste blog (podem encontrar os links no local a isso destinado).

Espero que a nossa Vila Formosa continue a ter gente que não a deixe cair no esquecimento.

Um abraço


publicado por extramodum às 15:28
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Quinta-feira, 23 de Fevereiro de 2006
SALADA DE LARANJA COM BACALHAU ASSADO
Eu teria quatro ou cinco anos, sei que ainda não andava à escola. Os meus pais trabalhavam fora, nas campanhas do tomate e eu ficava ao cuidado dos meus avós maternos.
Os meus avós viviam num monte e é daí, desse espaço, que eu guardo as primeiras imagens de infância. O monte ficava a 6 ou 7 Km de distância da aldeia mais próxima, daí que passava muito tempo sem ver mais ninguém a não ser os meus avós, digamos que, de certa forma, era um pouco bicho do mato.
O meu avô trabalhava num monte vizinho, que talvez ficasse a uns 2 Km de distância e era eu que normalmente ia levar-lhe o almoço.
- Vai filho, leva com cautela para não entornares!
Dizia a minha avó, enquanto me entregava uma marmita de esmalte azul, com o almoço do meu avô.
Eu era um bocado cagarolas. As lagartixas, os trovões e os aviões, eram os meus grandes inimigos. Naquele dia, eu já tinha passado a zona da horta e iria talvez a meio caminho, quando passa um avião militar a jacto ( ou alfa não sei quantos), num voo razante e barulhento que me fez estremecer... e de repente outro, ainda mais baixo e mais barulhento, não tardou que não começasse a correr, completamente apavorado. caí, a marmita bate no chão e do almoço não se aproveitou nada. Ainda estava no chão e a marmita ali perto da minah cabeça, ainda deixava ouvir os estalidos do esmalte, tal foi o porradão que deu numa pedra.
A minha avó fartou-se de ralhar. O almoço que estava reservado para nós, foi para o meu avô e fez salada de laranja com bacalhau assado para nós. Não sei se a salada de laranja foi um improviso de extrema necessidade, mas o que é facto é que nunca mais comi nem vi tal receita.


publicado por extramodum às 23:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2006
S.L.V.'s , J.J.P.'s, A.L.V's e outros que tu não vês...
Semaforo Limitador de Velocidade (SLV)Voltei à Chança depois de uma ausência de quase 2 meses e deparei-me, logo à entrada, com um novo e lindo Jardim junto à Piscina (J.J.P) e imediatamente a seguir, com Semáforos!!! Daqueles que mudam de cor consoante a velocidade... acho que se chamam assim mesmo: Semáforos Limitadores de Velocidade (S.L.V.).

"Óptimo" - pensei - "fazem realmente falta pois estão bem colocados (no fim de uma descida) e poderão obrigar a diminuir a velocidade dentro da localidade! - Finalmente uma idéia que não é só para «encher o olho». Afinal a Junta preocupa-se com a segurança e bem-estar da população... "...
Jardim junto à Piscina
...Foi "Alegria de pouca duração": ainda a pensar no semáforo, quase "enfio" o carro num buraco "disfarçado" com terra em plena via, que já lá está há mais de um ano!...
E começo a reparar que a própria estrada é, só por si, um "Autentico Limitador de Velocidade" (A.L.V.)!
As obras, que foram sendo feitas e que provocaram "mexidas" no pavimento, acabaram há muito mas os danos causados no mesmo NUNCA mais foram reparados!!!
E a cena repete-se por quase todas as ruas da Chança: fazem-se obras , abrem-se buracos na rua, acabam-se as obras e ... os buracos mantêm-se!
Quem será o responsável ?: O dono da obra, a Junta, ambos ou ... nenhum ???
Um dos inúmeros Buracos na Via
Achei que a Junta não poderia ser já que implementou os S.L.V. já referidos.
No entanto, poucos metros à frente, junto ao Lar da 3ª Idade, deparo-me com um amontoado de ferros em cima do Passeio Pedonal (P.P.) e na estrada!!! E com maior surpresa, verifico que a escassos 50 cm (centímetros) do local está um Parque de Estacionamento (P.E.) que quase não tem ocupação onde os ditos ferros poderiam ter sido colocados com muito menor prejuízo para os Utentes da Via Pública (U.V.P.) !!!
"Talvez o dono não tenha querido pedir autorização à Junta... " - disse eu para mim próprio.
Mas NÃO: os ditos ferros pertencem e foram ali colocados PELA JUNTA!!!
...e o Parque ali tão perto...
Resumindo: colocam-se S.L.V.'s quando temos A.L.V.'s; Criamos J.J.P.'s e obstruímos os P.P.'s para não ocupar os P.E.'s, com nítidos prejuízos para os U.V.P's!!!

A Chança está bonita mas não deixemos que nos "encham só o olho" (E.S.O). Não deixemos que nos "tapem a cabeça e nos deixem os pés de fora (T.C.D.P.F.)". . . Não deixemos que nos transformem em Meros Espectadores Resignados Desta Administração (M.E.R... vocês sabem o resto.) !




publicado por extramodum às 14:13
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 20 de Dezembro de 2005
Publicidade nos Anos 30
Foto extraída do http//vilaformosa.blogspot.com

A Chança já foi Grande!!! A indústria fazia publicidade... nos anos 30 do século passado... e agora?
É Fácil: agora NÃO HÁ INDÚSTRIA!
Viva a Chança.


publicado por extramodum às 09:12
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 7 de Novembro de 2005
Gosto da Chança, Porra!
jardim.JPG
Esta frase não é minha.
Foi "roubada".
Creio que a mesma, introduzida por Júlio César - Chancense e amante da Chança, foi dita em tempos pelo saudoso fadista Carlos Zel, possivelmente depois de ali ter passado alguns bons momentos.

...e que falta me fazem Bons Momentos...

Sem querer ser "saudosista" ou outro "...ista" qualquer, sinto falta dos bons (e até dos maus) momentos que ali passei na minha juventude. Sinto falta da Chança!

Queixo-me do mesmo que todos os que dali saíram para procurar "melhor vida" (???): Falta de tempo para "usufruir" (é...deve ser este o termo certo...) da Chança!

Gostava da Chança nos tempos em que brincava na "Escola Velha" (aglomerado de ruínas que viria a dar origem à actual Sede da Junta), gostava da Chança das faltas de água, das faltas de electricidade, das "ruas de lama", das tabernas de "copos de 3", das mercearias, das feiras de Março, de Junho, de Dezembro, das Feiras do Gado, das queijarias, do atabefe, do Largo do Rossio cheio de mato, da "cascata" sêca, da cascata com água, da Fábrica do tomate, das filas de camiões e tractores na época do tomate, da Estação cheia de gente...

... e agora, continuo a gostar ... das ruas alcatroadas, dos cafés, dos quiosques, dos mini-mercados, do Largo do Rossio ajardinado, da fonte que substituiu a cascata, dos sinos com telecomando, das piscinas, do parque infantil, da Cavalariça, dos campos ...

Está tudo diferente e, no entanto, as minhas saudades da Chança são as de sempre! Porquê???

Talvez porque...

GOSTO DA CHANÇA, PORRA!...


publicado por extramodum às 15:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Quinta-feira, 27 de Outubro de 2005
"Ah terra desgraçada que nem Guarda tens!..."

height=240 alt=Cap0027.jpg src="http://vilaformosa.blogs.sapo.pt/arquivo/Cap0027.jpg" width=320 border=0>

size=2>(Foto by Cravadinho - Direitos, e Tortos, Reservados)



publicado por extramodum às 14:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Terça-feira, 4 de Outubro de 2005
"A Revolta do Badalo"

height=249 alt=sino1.gif src="http://vilaformosa.blogs.sapo.pt/arquivo/sino1.gif" width=355 border=0>

Os sinos da minha aldeia sempre tocaram do alto da Torre da Igreja, ecoando pelos campos com um som claro e audível a grandes distâncias, imposto pelo vigoroso badalo que impiedosamente se atirava contra o metal.

Chegaram, os sinos, a ser "vítimas" de sequestro por habitantes de uma aldeia vizinha, talvez (seguramente!) por inveja da sua qualidade sonora...

 Umas vezes associado ao relógio mecânico, dando sinal dos "quartos-de-hora", das meias-horas e das horas, outras pela mão de alguém (...alunos do Sr. Prior ou da catequese, "beatas" mais ou menos habilitadas a ... manusear o badalo... e, nos últimos anos, pelo funcionário "Multi-usos" da Junta - o Chico do Rui), foram comunicando às pessoas as mais diversas situações: missas, terços, funerais, fogos, etc.

O "manusear do badalo" requeria esforço (era necessário subir ao alto da torre) e alguma técnica, pois os toques não se limitavam a um simples repicar dos sinos, sendo antes uma "composição melódica" de duas notas distintas (uma de cada sino)...

Mas o tempo não perdoa nem os Homens, nem as máquinas... e o antigo relógio mecânico foi substituido por um electrónico, de última geração, com os toques horários programados de forma a fazerem mover os "martelos" que batem nos sinos.

Mais tarde, no mesmo equipamento electrónico foram gravados os outros toques... e o badalo deixou de ser "manuseado"... chegou o fim do trabalho manual... ah! mas ainda era necessário que alguém se deslocasse à Igreja e accionasse o equipamento... o badalo ainda "sentia" que alguém estava por perto para o fazer trabalhar!...

...foi alegria de curta duração: de acordo com as últimas informações, foi adquirido um TELECOMANDO para fazer accionar todo o equipamento à distância!!! É o total abandono para o badalo... não bastava todo o resto se não agora um telecomando!!!

Já não é preciso entrar na Igreja; já não é preciso subir à Torre; já não é preciso ... tocar no badalo... - Pode fazer-se tudo isso sentado na esplanada do café com uma geringonça electrónica... Pobre badalo... abandonado no alto da Torre, movido por meios mecânicos e ainda por cima, comandado à distância...

... BADALOS deste Mundo: UNÍ-VOS e TOCAI a rebate! Não desespereis: AINDA É NECESSÁRIO UM DEDO HUMANO no aparelho para Vos fazer atirar contra as paredes! (até quando??? nã interessa!) VIVA o BADALO!!!!



publicado por extramodum às 15:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Segunda-feira, 8 de Agosto de 2005
Já repararam?
Já repararam que desde que as TVs começaram a fazer "cobertura" exaustiva , por vezes em directo e com imagens "espectaculares" de sofrimento e desgraça, dos Incêndios que devastam Portugal, estes têm aumentados quer em número quer em violência?

Já repararam que desde que se começou a publicitar e a explorar as desgraças, as mesmas começam a aparecer com mais frequência? (estou a recordar-me por exemplo do "número invulgar de balizas" que cairam em cima de crianças provocando algumas vezes a sua morte)...

Já repararam que desde que "se começou a falar" em pedófilia na televisão, não param de aparecer novos casos???

Já repararam que ...


publicado por extramodum às 16:04
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 18 de Maio de 2005
...

height=172 alt=PV-Formosa.jpg src="http://vilaformosa.blogs.sapo.pt/arquivo/PV-Formosa.jpg" width=250 border=0>

A Ponte de Vila Formosa...



publicado por extramodum às 10:59
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 13 de Maio de 2005
"Sabes quantos tipos de cabrões há???"

height=132 alt=burro.jpg src="http://vilaformosa.blogs.sapo.pt/arquivo/burro-thumb.jpg" width=179 border=0>

No seguimento da história anterior, veio-me à memória uma conversa passada na tasca de um dos intervenientes: a Taberna do "Ti Zéi".

Nos dias de feira, aquela aldeia atraía muitos visitantes quer de terras vizinhas quer de lugares distantes que ali se deslocavam para fazer negócio.

Durante a manhã decorria sempre a "feira do gado", localizada num extremo da aldeia mas relativamente perto da dita tasca. Ali se apresentavam os melhores exemplares da zona do gado vacum, cavalar, ovino, caprino e ... canino!... (é que só raramente o negócio não se concluia numa taberna, de onde resultava uma inevitável "cadela").

Foi na sequência de um destes negócios que o "Gama" (imponente representante da etnia cigana na região) e um "peleiro" (homem que viajava de terra em terra a comprar peles para curtir) oriundo da zona de Ourém/Leiria, se juntaram na tasca do "Ti Zéi" à volta de uns copos de tinto ("traçadinhos" para o peleiro que não queria ser enganado pelo cigano).

Ora o que se passava era que o "peleiro", de nome Jaquim, queria "impingir" uma mula "de serviço" ao Gama!!! Este não estava muito pelos ajustes em relação ao preço, argumentando que a mula era "Velha, coxa, cega,... enfim, que tinha todos os defeitos". O "Peleiro", sabendo que estava a lidar com um "expert" na matéria - e querendo esconder que a mula já tinha muitos quilómetros nas patas - chamou o Seca-Adegas, que estava ali ao lado a fazer juz ao nome, e pediu-lhe que atestasse sobre a qualidade da mula. (De notar que o velho Seca-Adegas tinha como meio de transporte um grande burro cinzento-claro "amestrado" que o levava sozinho para o monte à noite, após a habitual "Procissão das Capelinhas" do dono).

 - Ti Seca - diz o Peleiro - a minha mula tá ou não tá impecável?

- Oh 'migo Jaquim, até se me seca a "graganta" ...

- Ti Zéi... avie aí um copo o' Ti Seca...

- Obrigadinho 'migo Jaquim, pois a su mula... a su mula... a qual? a nova ou a velha???

- São as duas novas, Ti Seca!!! é a mais escura que o amigo Gama tá interessado!

- Ah essa?!! - fazendo uma pausa para beber de uma só vez o tintinho

- Oiça 'migo Gama, garanto-lhe eu que sei disto hein, essa mula ... quem ma dera p'ra mim! Se ela soubesse o caminho de Cujancas, quem a comprava era eu. Essa meto as mãos no lume por ela, 'migo Gama. Na feira nã havia "ninhuma", ouviu bem?, "NINHUMA" que lhe chegasse aos calcanhares...é garantido!

- Então amigo Gama, que me diz? - pergunta o Peleiro todo inchado.

Ao que o Gama responde na sua voz pausada e cigana:

- Migo Jaquim, sabe "qantos" tipos de cabrões há???

... o peleiro e o Ti Seca ficaram boquiabertos com aquela pergunta e na expectativa...

- Há "trêis"!

 - "Trêis"??? - interrogam os dois em simultâneo.

- Sim, trêis - e explicou - há os que são e nã sabem, os que sabem e nã "s'importem", e os "quêmados"!

- Os queimados? - duvida o Peleiro.

- Pois, migo Jaquim, os quêmados... sã aqueles que "metem as mãos no lume por elas"!...

... fez-se uma pausa silenciosa em toda a taberna...

... e todos, sem excepção, olharam pelo canto do olho para as próprias mãos...

---

P'rá semana volto aqui p'ra contar outra das muitas histórias que se passaram à volta daquela taberna e, aproveito para convidar a quem visite este blog, a deixarem histórias curiosas do nosso Alentejo. Deixem um comentário com o vosso mail que oportunamente forneceremos o contacto para onde as enviar.

Até breve seus "quêmados”.



publicado por extramodum às 15:53
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30

31


posts recentes

Feliz 2007!!!

Há novidades no "Pró-Luz"

O debate vai longo...

É da discussão que nasce ...

... e no caos continuamos...

... no princípio era o Ca...

Gente que Escapou às Form...

Histórias de "Gente que E...

Este post é só para teste...

Novos Links sobre a Chanç...

arquivos

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Maio 2005

LINKS INTERESSANTES
blogs SAPO
subscrever feeds